Num artigo, perdão “post”, em que se pretende falar de futuro, para variar, não começo com algumas estatísticas tão em voga ou com umas verdades de “la palisse”. Escolho um ditado bem popular: “Em Casa de Ferreiro, espeto de Pau.”

Pergunto (me): estarão as Direcções das PMEs portuguesas realmente preparadas para acolherem tudo o que é “social media” (youtubes, facebooks, twitters, etc, etc, etc) no seio das suas estratégias empresariais? Em Portugal há quase 3 milhões de utilizadores do Facebook e a tendência é para…subir! E não ponho mais nenhuma estatística. Todos falamos de “social media” como se fosse o “Holy Graal” para a solução dos nossos problemas:

– Temos um problema de imagem? Youtube.

– Temos um problema de comunicação? Twitter.

– Temos um problema de branding/ notoriedade? Facebook.

– Não sabemos onde anda o vendedor fulanito de tal? Foursquare.

– Queremos opinar? Blog.

No ponto 6 do recente relatório “The State of Social Media for Business – 2010” uma das reflexões é a questão da falta de suporte por parte das direcções das empresas. Em Portugal estamos, no que toca a Social Media, como nos idos anos 80 estivemos com as “croissanteries”… abríamos “croissanteries” ao pontapé porque era moda. Nos tempos da Cindy Lauper abríamos “croissanteries” como quem come sardinhas. Porque sim. Com o Social Media passa-se o mesmo: vai-se para diante porque sim sem saber onde queremos chegar.

Antes de arrancar para uma estratégia de Social Media há que fazer a reflexão interna e perguntar como no antigamente: A menina dança?

Luis Valente

Web & Social Media Senior Manager, Europe

Sanofi Pasteur MSD

Nota: Para reflexão e leitura credível sobre “social media” recomendo “Success Secrets of the Social Media Marketing Superstars” – Mitch Meyerson – ISBN -10: 1-59918-377

___

Nota: Para marcar o arranque de 2011, o Apanhado na Rede vai contar com a colaboração de alguns profissionais nacionais da área das RP Online que, durante o mês de Janeiro, nos darão a sua perspectiva sobre os desafios que se colocam nesta área para o ano que se inicia.