Ontem tínhamos ficado no impasse: O que torna relevante o conteúdo para as pessoas? Como trabalhá-los e desenvolvê-los? Mas penso que a questão ainda poderá ser mais profunda. Onde estão esses conteúdos relevantes? Quem os poderá validar, seriar, reescrever? Estou a falar em ir muito mais longe do que o sistema “inteligente” de relavância proposto pelos motores de busca, que definem relevância como o resultado matemático da contagem de referências de palavras ou links. Estou a falar sim de conteúdos de nicho, trabalhados e ajustados às caracterísiticas de quem os procura. Quem és tu? Que características tens? Quantas interacções estás disposto a fazer para encontrares realmente o que procuras? Que informação estás disposto a fornecer até a atingires?

É aqui que o desafio se torna um desafio para 2011… Especialmente do lado das empresas que trabalham conteúdos on-line. O que estamos a fazer para criar layers de informação adequados para perfis concretos de públicos? Até que ponto é que estamos a criar sites e conteúdos on-line antecipando perguntas? Até que ponto é que estamos a criar conteúdos interactivos que se ajustam às opções dos utilizadores? E conteúdos que aproveitam as características de cada um dos canais de acesso dos utilizadores, que se ajustam às características e limitações do meio e que se ajustam àqueles que activamente os procuram?

Teremos, com certeza, de ajudar a mudar as mentalidades dos nossos clientes, conseguir que percebam que as actuais diferenças estão em chegar primeiro e disponibilizar aos outros o que lhes é relevante.

Como utilizadores: quanto estamos dispostos a pagar pela análise de sector que nos faz tanta falta? A quem estamos dispostos a comprar esta informação? Em quem reconhecemos legitimadade para a trabalhar?

Como clientes: Quando estamos dispostos a pagar para desenvolver conteúdos que realmente sejam relevantes para as nossas audiências?

Aos media (que não terão outra solução que vender o jornalismo de investigação): Para quando esta alteração de modelo de negócio que se torna inevitável?

Às Universidades e às Instituições de conhecimento: Não estarão a perder a possibilidade de assumirem uma das suas principais funções de validação de conteúdo relevante?

Se a questão era pensar em desafios… aqui ficam alguns que poderão extravasar o ano de 2011… Boas Entradas.

Ricardo Santos

Partner da Dimensão Global

Docente convidado na Escola Superior de Comunicação Social

___

Nota: Para marcar o arranque de 2011, o Apanhado na Rede vai contar com a colaboração de alguns profissionais nacionais da área das RP Online que, durante o mês de Janeiro, nos darão a sua perspectiva sobre os desafios que se colocam nesta área para o ano que se inicia.