Hoje é dia de um post mais “pedagógico”. Desculpem mas tem que ser depois de ter recusado no mesmo dia meia dúzia de pedidos de amizade vindos das mais diversas empresas e estabelecimentos de consumo.

E vocês? Quem é que nunca recebeu um convite de amizade no Facebook do restaurante ali do bairro ou da empresa de consultoria financeira que tem o escritório no prédio ao lado? Para estes “amigos”, e só para estes, vou fazer uma revelação: caríssimos, os perfis de Facebook são para pessoas e as empresas devem utilizar apenas Páginas (quem achar que este post está a ser terrivelmente aborrecido, pode ir ver vídeos virais para o YouTube, porque isto não vai ficar melhor…).

Para além de ser um ponto regulado nos Termos de Uso do Facebook (que ninguém lê e depois quando corre mal é uma chatice), há um conjunto de motivos que tornam as páginas mais pertinentes e interessantes para as empresas.

Para começar, enviar convites de amizade de negócios dá uma ideia muito pouco profissional da própria empresa, para além de ser uma prática intrusiva… Mas deixemo-nos de considerações de “bom senso” e passemos às principais diferenças práticas entre estas duas formas de estar no Facebook.

Um perfil de amigo permite agregar uma comunidade de apenas 5 mil amigos, enquanto as páginas não têm limite. Para além disso, Facebook Pages permitem uma personalização e integração de Apps que podem aumentar exponencialmente o interesse da Página e reforçar o branding da marca online. Podemos até criar landing pages para quem ainda não é fã, reforçando o call to action e aumentando o grau de emotividade do canal.

Do ponto de vista do SEO, as keywords das Pages são indexáveis ao Google, ajudando a posicionar a página nas pesquisas web. E, por último mas não menos importante, o Facebook dispõe de um Insights, uma ferramenta de análise de resultados que permite retirar alguns dados interessantes sobre a nossa comunidade online, desde dados sócio-demográficos, visualizações, interações (comments e likes) e evolução da comunidade de seguidores, entre outros.

Se estes não forem argumentos suficientes, ponderem a vossa carreira profissional e saibam que o Facebook tem o direito de apagar perfis de empresas, direito que vai exercendo sem mão pesada. Ainda assim, no seu lugar, preferia não arriscar…